sexta-feira, 8 de abril de 2011

Resumos dos Capítulos - Parte I

Resumos dos capítulos da novela, retirados do Jornal do Brasil e da Folha de São Paulo. Este último mantinha na década de 1980 uma coluna intitulada "As novelas, ontem", em que se publicavam os resumos das novelas em exibição. Certos erros quanto à numeração dos capítulos podem advir da ausência das edições dos jornais em determinados dias, quando a exibição da novela pode não ter ocorrido ou a emissora pode ter apresentado a reprise de algum dos capítulos anteriores, prática comum durante a exibição de OS IMIGRANTES quando de algum acontecimento mais marcante para o desenvolvimento da trama, como trocas de fase ou algum clímax dramático. A grande maioria dos resumos foi extraída do Jornal do Brasil, estando os oriundos da Folha de São Paulo identificados por uma sigla como R. A. B. J. em seguida ao texto.

Capítulos 1 a 6

Capítulo 1 – Segunda-feira, 27 de abril de 1981 – É exibido um pequeno documentário narrado por Ferreira Martins sobre a natureza migratória, a evolução do espírito trabalhador do homem e a vinda dos primeiros imigrantes para o Brasil. Antonio de Salvio, Antonio Pereira e Antonio Hernández chegam ao Brasil, vindos respectivamente da Itália, de Portugal e da Espanha, e vão morar numa fazenda do interior de São Paulo, no ano de 1891. De Salvio conta a Gennaro coisas da Itália. Hernández relembra os últimos dias que passou em Granada, na Espanha. Pereira comenta fatos de sua vida e diz que nasceu nas proximidades de Lisboa, trabalhava no cais e relembra como vieram para o Brasil. Seu tio Manoel, que está aqui há algum tempo, sempre o incentivara, embora sua mãe fosse contra. Ele acabou por viajar mesmo contra a vontade da mãe e veio tentar a sorte na nova terra.

Capítulo 2 - Terça-feira, 28 de abril de 1981 – De Salvio continua a conversar com Gennaro e a lhe contar como veio para o Brasil, e diz que deixou uma namorada, Carmela, em Luca, na Itália. Hernández relembra que foi procurado pela polícia, por ser considerado anarquista, e que a polícia havia matado seus avós, o que o obrigou a fugir da Espanha. Na fazenda, Júlio comenta com Isabel que o governo permitiu que os imigrantes se instalassem nas proximidades e que isso prejudicou os cafezais. De Salvio, conversando na Imigração com Pereira e Hernández, lhes diz para que, se lhes perguntarem, responderem que são lavradores. Um funcionário da Imigração pergunta quem trabalha na lavoura e os três levantam os braços. O funcionário lhes pede que o sigam.

Capítulo 3 – Quarta-feira, 29 de abril de 1981 – Na fazenda, Alaor, um negro, briga com Nino, um colono italiano, e este morre, depois de muito apanhar. Alaor pede a Décio, dono da fazenda, que lhe pague o que está devendo, pois ele fugirá da polícia. Décio manda Honório avisar as autoridades do que aconteceu. Gennaro resolve seguir Alaor para prendê-lo. Honório encontra Alaor, tenta prendê-lo, não consegue e, depois de discutir, lhe dá um tiro, matando-o. O funcionário da Imigração avisa De Salvio, Pereira e Hernández que eles irão trabalhar na fazenda de Décio. Biá, mucama de Isabel, lhe diz que o pai de Júlio irá pedir sua mão em casamento para o filho. Hernández, De Salvio e Pereira se preparam para trabalhar na fazenda.

Capítulo 4 – Quinta-feira, 30 de abril de 1981 – Romantismo e política marcaram este quarto capítulo. Isabel e Biá violaram a correspondência do italiano. A filha do fazendeiro entusiasmou-se com as palavras de amor escritas por De Salvio e resolveu conhecê-lo mais de perto. Não deu outra. Na sequência, lá estavam as duas observando os colonos tomando um banho de cachoeira tal como vieram ao mundo. Talvez por ironia do destino foi o Antonio português quem descobriu estarem sendo observados. Acabou por espantar as raparigas. Esta trama não deve ficar só nisto. Aguardem... Já é a segunda vez em que Décio demonstra preocupação com a instabilidade do governo Deodoro. São os prenúncios da primeira grande crise do café que resultou na queda do marechal. Criando o argumento da própria novela, Décio está apavorado com a possibilidade de ver atingidos os seus interesses de classe. Rasgou a carta do italiano ao saber o quanto ele desconsidera o patrão. (R. A. B. J.)

Capítulo 5 – Sexta-feira, 1.º de maio de 1981 – O resumo não estava disponível quando da consulta.

Capítulo 6 – Sábado, 2 de maio de 1981 – Isabel e Biá abrem a carta escrita por De Salvio e começam a lê-la. Isabel, à medida que lê as palavras de De Salvio para Carmela, se deixa levar pelo seu romantismo. De Salvio e Pereira vão tomar banho na cachoeira. Biá e Isabel, passeando, chegam à cachoeira e os veem nus. Pereira descobre que eles estão sendo observados e quando vai tentar descobrir quem os espreita as duas fogem sem, entretanto, conseguirem passar despercebidas. Pereira comenta com Gennaro que Isabel e Biá viram ele e De Salvio nus. Júlio comenta com Décio que no Rio há um grande descontentamento com o presidente Marechal Deodoro. Biá percebe que Isabel está se interessando por De Salvio e lhe pergunta se quer marcar um encontro com ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário